fbpx
Trabalhe Conosco
Imagem Destacada

Como eliminar a positividade da bactéria Legionella em um sistema de água hospitalar?

Os sistemas de água hospitalares podem ser colonizados por bactérias oportunistas, como a Legionella, por conta  da estrutura complexa dos sistemas hidráulicos do hospital que podem ter pontos de estagnação da água, corrosão de tubulações, pontos com baixo residual de cloro e presença de biofilmes.

Um dos grandes desafios de realizar o controle de Legionella nos sistemas de água quente é que ela se desenvolve melhor em temperaturas mais altas, como as temperaturas da água de chuveiros, torres de resfriamento, reservatórios de água quente e banheiras. 

No artigo desta semana vamos falar sobre: 

  • os fatores que influenciam no desenvolvimento de Legionella nos sistemas de água;
  •  traremos um estudo de caso de como a Microambiental eliminou a positividade da bactéria Legionella em um sistema de água hospitalar e; 
  • explicaremos porque a aplicação do Hipoclorito de Cálcio e a solução desincrustante ajudaram a diminuir substancialmente a presença de Legionella nos sistemas de água quente

Quais fatores favorecem o desenvolvimento de Legionella nos sistemas de água quente? 

Como a Legionella se estabelece e cresce como parte da microbiota da água potável, elas não correspondem aos indicadores fecais, apresentando um desafio significativo às estratégias de monitoramento comuns. 

Abaixo listamos alguns fatores que favorecem o desenvolvimento de Legionella nos sistemas de água: 

  • Acúmulo de elementos particulados como matéria orgânica, ferro e calcário nas tubulações, chuveiros, Caixas d’água e Reservatórios entre outros locais; 
  • Estagnação da Água: Podem ter pontos no sistema de água predial, como cômodos desocupados, onde a água pode ficar estagnada por longos períodos que, em conjunto com a baixa concentração de Cloro Residual Livre, favorece o desenvolvimento da bactéria; 

Temperatura da água: se a água do sistema de água quente estiver a uma temperatura entre 20 e 50 °C,  vai favorecer o desenvolvimento da Legionella no sistema.

As bactérias do gênero Legionella  foram encontradas em sistemas de água que variam em temperatura de 6 ° C a 60 °C, embora cresçam melhor entre 25 °C e 42 °C. A bactéria Legionella começa a morrer em temperaturas acima de 70 °C e não se multiplicam em temperaturas acima de 50 °C.
Legenda: As bactérias do gênero Legionella  foram encontradas em sistemas de água que variam em temperatura de 6 ° C a 60 °C, embora cresçam melhor entre 25 °C e 42 °C. A bactéria Legionella começa a morrer em temperaturas acima de 70 °C e não se multiplicam em temperaturas acima de 50 °C.

Outro problema é que as temperaturas altas também dificultam a manutenção de desinfetantes, como o Hipoclorito de  Sódio, nos níveis necessários para matar microrganismos como a Legionella.

Estudo de caso: como a Microambiental eliminou a positividade da bactéria Legionella em um sistema de água hospitalar

A Microambiental realizou um estudo de caso comparando a ação do Hipoclorito de Sódio e do Hipoclorito de Cálcio para a desinfecção de água quente em um hospital localizado em São Paulo. 

A aplicação dos produtos químicos a base de cloro foram realizadas pelo Sistema Padrão de Dosagem da Microambiental. Esse sistema realiza  a dosagem automatizada de cloro por Bombas Dosadoras garantindo a manutenção dos níveis adequados de cloro no sistema. 

Para verificar a presença de Legionella na água foram coletadas 22 amostras de água de chuveiro para análises de Legionella com o tratamento com Hipoclorito de Sódio entre os meses de Janeiro e Maio, e entre Abril e Agosto iniciamos o tratamento com Hipoclorito de Cálcio e analisamos 11 amostras. 

Todas as amostras foram analisadas pelo método de cultura. Vale ressaltar que a Microambiental faz parte do Programa ELITE, junto ao Centro de Prevenção e Controle de Doença dos EUA e tem todas as qualificações para realizar o processamento de amostras de água para Legionella.  

Resultados: 

  • Tratamento com Hipoclorito de Sódio: 

Quando realizamos as análises de água com o tratamento de Hipoclorito de Sódio em vigor no sistema de água quente, foi identificada a presença de Legionella em 18 amostras das 22 coletadas, tendo assim uma taxa de incidência de 82% para a bactéria Legionella.

gráfico de tratamento da água com hipoclorito de sódio e incidência da bactéria Legionella
  • Tratamento com Hipoclorito de Cálcio: 

Quando a Microambiental implementou o Hipoclorito de Cálcio no sistema não foi identificada a presença de Legionella em nenhuma das 11 amostras coletadas, zerando assim a taxa de incidência no sistema. 

gráfico de tratamento da água com hipoclorito de cálcio e incidência da bactéria Legionella

Além do Hipoclorito de Cálcio, aplicamos uma solução desincrustante como coadjuvante tecnológico visando evitar incrustações na tubulação e para remediar o processo de formação de Biofilmes.   

Por que a aplicação do Hipoclorito de Cálcio e a solução desincrustante ajudaram a diminuir substancialmente a presença de Legionella nos sistemas de água quente? 

De maneira geral os produtos químicos à base de cloro são biocidas de alta eficiência contra patógenos, neste caso, como o  Hipoclorito de Cálcio tem uma melhor estabilidade em água que o Hipoclorito de Sódio, principalmente em sistemas de água quente, ele garante que os pontos mais distantes da rede tenham uma perda menor dos teores de cloro residual livre, evitando o desenvolvimento microbiano nesses pontos.

Além disso, a água pode conter ferro e manganês em função da sua origem, por isso pode ocorrer a formação de óxidos (ferrugem, óxidos de manganês).  Quando aplicamos a nossa solução desincrustante vai fazer com que as moléculas de ferro e manganês sejam complexadas evitando reações de oxidação e, consequentemente, evitando incrustações e diminuindo os precursores da formação de biofilmes. 

Apenas a aplicação do Hipoclorito de Cálcio e a solução desincrustante eliminam a presença de Legionella nos sistemas de água quente?

Não, para eliminar a positividade de Legionella do sistema de água quente, além da aplicação do Hipoclorito de Cálcio, o hospital precisa realizar as medidas de controle  apropriadas, tais como: 

  • Utilizar sistemas de dosagem de cloro por Bombas Dosadoras permite o ajuste automático das concentrações de cloro sem grandes oscilações. Esses sistemas são os mais adequados para o setor de saúde que precisam do ajuste mais fino dessas concentrações;
  • Análises de água: A realização periódica de análises de água ajuda a verificar a presença das células bacterianas de Legionella de vida livre. 
  • Realizar a limpeza e desinfecção periódica de banheiras, chuveiros e fontes decorativas que possam ter acumulado biofilmes.

Além disso, é importante o estabelecimento de saúde realize um programa de gerenciamento de água, seguindo a NBR 16824, com o intuito de identificar tanto os principais pontos críticos no sistema quanto as ações corretivas que podem minimizar o crescimento e a disseminação de microrganismos potencialmente patogênicos transmitidos pela água.

CONHEÇA OS NOSSOS SISTEMAS DE DOSAGEM AUTOMÁTICA DE CLORO: 

A Microambiental possui sistemas automatizados de dosagem de cloro que ajudam a evitar contaminações microbiológicas e evitam grandes oscilações nos residuais do biocida. Além disso, a Microambiental disponibiliza uma equipe especializada que realiza a manutenção preventiva e corretiva da bomba dosadora.





POSTS RELACIONADOS

Precisa de ajuda? Converse Conosco