fbpx
Trabalhe Conosco
Imagem Destacada

A bactéria Legionella é realmente rara em sistemas de água hospitalares?

Os estabelecimentos de saúde normalmente possuem sistemas de água complexos, com grandes volumes e pontos de estagnação de água que criam um ambiente adequado para o crescimento de microrganismos potencialmente patogênicos se não forem mantidos de maneira adequada.

A Legionella é um gênero de bactérias oportunistas muito comum em sistemas de água de grandes edifícios e pode causar a doença dos legionários a pessoas imunocomprometidas (doentes crônicos, gestantes, recém nascidos, idosos) que estão mais suscetíveis a infecções hospitalares. A presença da bactéria Legionella pode parecer rara nos sistemas de água, mas a doença dos legionários já foi relatada em muitos hospitais desde o primeiro surto registrado em 1976. 

No artigo desta semana, vamos falar sobre:

  • alguns surtos de Legionella em ambientes hospitalares;
  • os fatores que favorecem seu desenvolvimento e dispersão e; 
  • como realizar o controle de Legionella em sistemas de água. 

Infecções hospitalares e a Legionella

A doença do legionário foi reconhecida como uma causa importante de pneumonia adquirida em hospital. Na tabela abaixo, descrevemos características de surtos e infecções da bactéria Legionella que ocorreram em ambientes hospitalares de Janeiro de 1997 a Junho de 2015 em países da Europa e nos Estados Unidos. 

MicrorganismoTransmissãoTipo de Estudo
Legionella pneumophilaÁgua do banho contaminada por 24hRelato de caso 
(único)
Legionella pneumophilaExposição a água contaminada de fonte decorativaSurto –
 forte causa
Bactérias associadas à ameba (principalmente Legionella anisa, Bosea massiliensis)Foi encontrada do sistema de água hospitalar, mas não se sabe ao certo a fonte de transmissãoSérie de casos
 (múltiplos)
 Legionella pneumophilaFoi encontrada do sistema de água hospitalar, mas não se sabe ao certo a fonte de transmissãoSurto – 
forte causa
Legionella spp (principalmente Legionella pneumophila)Chuveiro/abastecimento de água quenteSérie de casos 
(múltiplos)
Legionella pneumophilaÁgua contaminada em lavatóriosRelato de caso (único) – forte causa
 Tabela adaptada do estudo: Healthcare Outbreaks Associated With a Water Reservoir and Infection Prevention Strategies Na tabela, foi utilizada a definição dos  artigos de “série de casos (múltiplos)”, “surto”, série de casos (múltiplos)” ou “relato de caso (único)” foi determinada com base no número de infecções humanas associadas ao sistema de água. O termo  “ forte causa” foi utilizado  quando pelo menos 1 método de tipagem molecular indicava parentesco com o sistema de reservatório de água.

Segundo SCHULZ et al., 2005, a pneumonia nosocomial é responsável por cerca de 15% de todas as infecções hospitalares e  apresenta uma alta taxa de mortalidade, cerca de 40% e podendo chegar a 80% em pacientes com baixa imunidade. 

As informações disponibilizadas pela Vigilância Municipal de São Paulo mostram que  no ano de 2013 ocorreram cerca de 5.000 mortes relacionadas às infecções causadas pelas bactérias do gênero Legionella no Brasil (COZAC, 2014). Além disso, um estudo conduzido por FERREIRA,  et al., 2007 verificou a presença de bactérias coliformes e de Legionella sp na água utilizada nos hospitais monitorados demonstrando a necessidade de desses estabelecimentos implementarem Programas de Gerenciamento de Água para Controle da Legionella

Fatores que favorecem o desenvolvimento e dispersão de Legionella em hospitais:

Os sistemas de água hospitalares podem ser colonizados por bactérias potencialmente patogênicas e oportunistas por conta  da estrutura complexa dos sistemas hidráulicos do hospital que podem ter pontos de estagnação da água, corrosão de tubulações, pontos com baixo residual de cloro e presença de biofilmes.

Imagem adaptada – https://www.cdc.gov/vitalsigns/legionnaires/infographic.html

A Legionella é transmitida principalmente pela inalação de gotículas de água suspensas no ar. Desse modo, uma variedade de pontos do sistemas de água podem estar  associados a surtos nosocomiais de Legionella, incluindo chuveiros, fontes decorativas e torres de resfriamento.

Como realizar o controle de Legionella nos sistemas de água hospitalares?  

A norma ABNT NBR 16824 fornece orientações para o gerenciamento de riscos e boas práticas para a prevenção da doença dos legionários associadas a sistemas de água prediais de edificações. 

O ideal seria que os estabelecimentos de saúde realizassem uma Avaliação de Risco de Legionella para identificar quais locais são mais propícios para o seu desenvolvimento nos sistemas de água do edifício. 

Abaixo listamos algumas medidas importantes para controle de Legionella em sistemas de água: 

  • Dosagem de Biocida (cloração): Fazer a manutenção da concentração de solução biocida adequada nos sistemas de água ajuda a diminuir a presença de Legionella de vida livre.
  • Além disso, recomendamos que estabelecimentos de saúde utilizem sistemas inteligentes de dosagem de dióxido de cloro que além de demonstrar uma melhor penetração nos biofilmes, esses  sistemas são os mais adequados para o setor de saúde que precisam do ajuste mais fino dessas concentrações.
  • Análises de água: A realização periódica de análises de água ajuda a verificar a presença das células bacterianas de Legionella de vida livre. Para isso recomendamos a elaboração de um cronograma com análises mensais considerando pontos em que a água fica estagnada ou áreas com uso infrequente, bem como a suscetibilidade dos ocupantes aos riscos de exposição (por exemplo, unidades de terapia intensiva, neonatais e queimados). Além disso, é importante que o cronograma englobe o máximo de pontos críticos para serem analisados pelos menos dentro de um semestre.

A MICROAMBIENTAL POSSUI SERVIÇOS DE ANÁLISES MICROBIOLÓGICAS DE ÁGUA QUE ATENDEM SUAS NECESSIDADES

Para garantir a qualidade e a confiabilidade de seus laudos, a Microambiental investe em tecnologia e inovação tendo acreditação na NBR ISO/IEC 17025 e habilitada pelo REBLAS. Além disso, nossos laudos são disponibilizados no portal online, com fotos do local de coleta e observações de campo que auxiliam nos diagnósticos de não conformidades. Os dados são sincronizados automaticamente, sendo carregados na nuvem, garantindo maior controle e informações mais precisas.





POSTS RELACIONADOS

Precisa de ajuda? Converse Conosco