fbpx
Imagem Destacada

O impacto da falta de circulação na qualidade da água em edifícios desocupados durante a pandemia de COVID-19.

Pesquisadores da Universidade de Purdue, nos EUA, estão realizando o monitoramento da qualidade da água potável em edifícios esvaziados pela crise da Covid-19 e no retorno de seus ocupantes. O objetivo é informar aos proprietários dos edifícios os impactos da falta de circulação de água no sistema a fim de que possam, caso necessário, tomar medidas corretivas, como Cloração, Higienização e Limpeza de Caixas d’água.

Afinal, quais são os problemas que a água parada em grandes edificações pode causar?

Segundo os pesquisadores, a água parada por longos períodos pode conter quantidades excessivas de metais pesados e microrganismos, possivelmente patogênicos, concentrados em tubulações, reservatórios e caixas d’água. 

Apesar dos estudos serem iniciais, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos (CDC) já deixou evidente que a água estagnada aumenta o risco de crescimento e disseminação de Legionella e outras bactérias associadas ao biofilme. Além disso, a água parada pode conter níveis muito baixos ou até mesmo indetectáveis de cloro em função da volatilidade do produto.

IMPORTANTE: lembrarmos que o  cloro residual livre combate a disseminação de doenças associadas aos microrganismos. O baixo nível desse composto pode indicar uma eventual contaminação microbiológica nos sistemas de água para consumo humano.

Mas voltar a utilizar a água do prédio resolveria o problema? 

Segundo os pesquisadores envolvidos no estudo, as paralisações prolongadas de edifícios exigirão soluções diferentes. Devido à transmissão da COVID-19, muitos edifícios foram desocupados em uma mesma área por um longo período de tempo, diminuindo assim a concentração de cloro residual da rede de água local. Quando voltarem ao trabalho após o distanciamento social, nem mesmo o descarte completo de toda a água do prédio poderá ser o suficiente para abastecer o reservatório com água fresca.

Quais medidas profiláticas podem ser executadas antes da reabertura das empresas ou edifícios?

  • Cloração de Choque ou Supercloração: É um tratamento mais imediatista que utiliza uma quantidade muito maior de cloro para eliminar contaminantes orgânicos, microrganismos e cloraminas acumulados durante o período em que a água permaneceu parada no sistema;

IMPORTANTE: em hospitais, clínicas de hemodiálise ou em grandes edificações é recomendável a realização da dosagem de Biocida utilizando sistemas inteligentes  de dosagem de cloro. Esse sistema mantém o nível de Cloro estável por meio de um sensor que monitora continuamente sua concentração na água e regula, de forma automática, a bomba dosadora.

 Técnico utilizando um medidor de cloro (Clorímetro).
Técnico utilizando um medidor de cloro (Clorímetro)
  • Higienização de Reservatórios e Limpeza de Caixas d’água: a água ficará mais tempo parada nas caixas d’água e reservatórios e assim, vai acelerar o desenvolvimento de biofilmes. Essa medida remove resíduos e células de microrganismos de superfícies e a matéria orgânica que ficou acumulada no período de quarentena. 
  • Realização de análises de água: para identificar se ocorreu o desenvolvimento de bactérias possivelmente patogênicas e oportunistas durante o período de estagnação da água.  As análises de água são o ponto inicial para medidas corretivas. 
  • Limpe e desinfete bebedouros, banheiras, chuveiros e fontes decorativas que possam ter acumulado biofilmes;  
  • Garanta que as torres de resfriamento estejam limpas e bem mantidas; 
  • Promova a circulação da água na tubulação, você pode fazer isso dando descarga em vasos sanitários, deixando a água escorrer em torneiras e chuveiros.

Ressaltamos que diante do cenário atual, nunca foi tão importante garantir altos padrões de higiene e divulgamos esse estudo com o intuito de auxiliar os proprietários a garantir que seus edifícios estejam seguros e operacionais quando os seus colaboradores e clientes retornarem. 

Links para as matérias-fonte deste artigo:

1 ttps://www.purdue.edu/newsroom/releases/2020/Q2/water-quality-could-change-in-buildings-closed-down-during-covid-19-pandemic,-engineers-say.html

2 – https://www.cdc.gov/coronavirus/2019-ncov/php/building-water-system.html

Se você ainda tiver dúvida sobre como a qualidade da água pode mudar em prédios desocupados, não hesite em enviar um e-mail para: marketing@microambiental.com.br

A Microambiental presta Higienização de reservatórios e limpeza de caixas d’água com eficácia e rapidez. Nossa tecnologia garante a retirada do Biofilme e não compromete o revestimento de reservatórios e caixas d’água.





POSTS RELACIONADOS

Copyright 2016 Microambiental | Desenvolvido por Lamattina Marketing Digital

Precisa de ajuda?
Converse Conosco