fbpx
Trabalhe Conosco
Imagem Destacada

O problema da Legionella em torres de Resfriamento.

Recentemente, o senado da Flórida introduziu a lei SB 1190, que tem como objetivo diminuir a transmissão da Doença dos Legionários em torres de resfriamento.

Neste artigo, vamos entender o risco do desenvolvimento de Legionella em Torres de Resfriamento e quais procedimentos, entre eles a higienização, devem ser adotados para remediar a sua presença.

Imagem de Torre de Resfriamento. Fonte: Photodune

Como ocorre o desenvolvimento de Legionella em Torres de Resfriamento?

As Torres de Resfriamento utilizam a água como fluido térmico para realizar a refrigeração. Por isso, esses equipamentos são úmidos, quentes e periodicamente estáticos, ideais para o desenvolvimento de biofilmes que servem de albergue para os microrganismos.

Tais sistemas têm sido identificados como fonte de propagação de Legionella. A presença dessas bactérias configura um problema sério de saúde pública, uma vez que podem ser inaladas em partículas suspensas de aerossóis das Torres de Resfriamento.

O que aconteceu na Flórida?

Um relatório de 2019 da “National Academies of Sciences” estimou que os números de casos nos Estados Unidos variam de 52.000 a 70.000 por ano. Segundo esse estudo, a Flórida foi responsável por 5% dos casos de Doença dos Legionários em 2018. Em vista desses dados alarmantes, notou-se a necessidade de regulamentar medidas para evitar a presença de Legionella em torres de resfriamento.

O que a SB 1190 exige?

  • Os proprietários das torres de resfriamento terão que registrá-las no Departamento de Saúde;
  • A aplicação de um Programa de Segurança de Água nas torres existentes e recém-instaladas;
  • Exige a realização de análises de cultura de Legionella, conduzidas por laboratórios ambientais certificados;
  • Autoriza a fiscalização de um agente de saúde, sem aviso prévio, nas torres de resfriamento.

E a Legionella nas Torres de Resfriamento do Brasil ?

No Brasil a Legionella é um problema de saúde pública ainda pouco prevenido e divulgado, deste modo, ainda não há legislação que estabeleça o controle de Legionella em Torres de Resfriamento. 

Apesar da ausência de legislação, a pneumonia no Brasil está entre as primeiras causas de mortalidade relacionadas às doenças do trato respiratório.  Segundo a escassa literatura a esse respeito, Legionella pneumophila  pode ser a causa de 6% dessa morbidade.

Torre de Resfriamento com Biofilme: uma dura cobertura como incrustação. Fonte: Microambiental.

Quais cuidados devemos ter com as Torres de Resfriamento?

A melhor forma de prevenção é implementar um Programa de Segurança em Torres de Resfriamento. Pensando nisso, vamos dar algumas medidas de controle podem ser aplicadas, para limitar o crescimento e a propagação de Legionella, tais como:

1. Higienização de Torres de Resfriamento: Para remover incrustações, Biofilmes e remover as células bacterianas de Legionella ali albergadas.

  • De maneira geral, recomendamos a Higienização de Torres de Resfriamento, sempre que:
  • Na instalação: evitando-se a possíveis contaminações durante a sua montagem;
  • Quando esteve parada mais de um mês e retoma de novo o seu funcionamento;
  • Após alterações estruturais da constituição ou reparações profundas;
  • No caso de funcionamento em uso contínuo, a limpeza e desinfeção do sistema devem ser realizadas pelo menos duas vezes ao ano.

2. Análises de água: A realização periódica de análises de água ajuda a verificar a presença das células bacterianas de Legionella de vida livre. As análises são o primeiro passo para medidas corretivas.

Ressaltamos que a seleção dos pontos de amostragem devem ser criteriosos e representar a qualidade da água do circuito como um todo. Deste modo, sugerimos os pontos de amostragem a seguir: 

  • Chiller;
  • Biofilme do meio de enchimento: para averiguar a presenças de Legionella, e de outros microrganismos;
  • Tabuleiro inferior da torre de arrefecimento;
  • Circuito de retorno da água de arrefecimento.

3. Dosagem de Biocida (cloração): fazer a manutenção da concentração de solução biocida adequada nos sistemas de água ajuda a diminuir a presença de Legionella de vida livre.

O nível de cloro residual livre na água do circuito deve estar entre 0,5 e 1 mg/L, para valores de pH entre 7 e 8. Essas concentrações não devem ser maiores, para evitar a corrosão do sistema pelo tratamento;

4. Registo da manutenção de cada instalação, onde se assinale todas as incidências, atividades realizadas, resultados obtidos e as datas de paragem e arranque da instalação, incluindo a causa da ocorrência.

Importante ressaltar que, além do surgimento de contaminações microbiológicas (Legionella), a falta de higienizações periódicas em torres de resfriamento contribui para a perda eficiência nos processos de troca de calor, perda de vazão, aumento do custo com energia e corrosão.

Precisando realizar Higienização de Torres de Resfriamento?

Usando tecnologia de ponta, a Microambiental presta o serviço de limpeza de torres de resfriamento com eficácia e rapidez. Nossa tecnologia garante a retirada do Biofilme e não compromete o revestimento da sua Torre de Resfriamento.





POSTS RELACIONADOS

Precisa de ajuda? Converse Conosco