fbpx
Trabalhe Conosco
Imagem Destacada

Análise de potabilidade da água para condomínios, quando fazer?

É com muita satisfação que compartilhamos que a nossa Analista de Marketing, Bruna Couto, foi convidada a fazer uma entrevista para o Jornal do Síndico Ano XXV – Edição 297 – MARÇO/2021. Na entrevista, nossa Analista falou sobre:

Qual a importância de realizar as análise de potabilidade da água em condomínios? 

As análises ajudam a validar as possíveis oscilações da qualidade da água entregue pela concessionária de distribuição responsável. Também vão monitorar a qualidade da água advinda de poços artesianos e captar possíveis contaminantes do solo, como, por exemplo, os compostos BTEX (grupo de compostos formado pelos hidrocarbonetos: benzeno, tolueno, etil-benzeno e os xilenos), que podem advir de vazamentos de postos distribuidores de combustíveis próximos aos poços artesianos, que são prejudiciais à saúde humana. 

Além disso, vão verificar a presença de bactérias potencialmente patogênicas e outros componentes químicos nocivos. “A análise da água é o primeiro passo para medidas corretivas e garante que a água é segura para consumo”, conclui Bruna Couto. 

Qual a frequência de análise de potabilidade da água em condomínios?

Segundo Bruna Couto, para grandes edificações como condomínios, recomenda-se a realização de um cronograma com análises semestrais contemplando pontos críticos de consumo, isto é, que, pela falta de higiene, possam representar riscos para os usuários. 

Dentre esses pontos podemos citar o cavalete, caixa d’água, torneira de cozinha de pelo menos um dos moradores, e em caso de água proveniente de poços artesianos antes do  sistema de tratamento e depois do sistema de tratamento. 

Como é realizado o procedimento de coleta/amostragem?

O procedimento de coleta requer diversos cuidados para se evitar eventuais contaminações e perdas e, de tal forma, garantir a integridade da amostra a ser analisada. 

 Imagem de um técnico da Microambiental realizando o procedimento de amostragem de água devidamente paramentado. 

Os técnicos devem estar devidamente paramentados com equipamentos de proteção individual (EPI’s) como jaleco, touca, luvas e máscaras, além de seguir rigorosos procedimentos de amostragem sanitizando a parte externa do ponto de coleta utilizando álcool 70%  com uma gaze e deixar a água correr por cerca de 1 a 2 minutos. Para coletar a água de reservatórios, os técnicos utilizam um balde de inox estéril. 

Além disso, quando uma coleta é realizada utilizamos diversos frascos, sendo que cada frasco é específico para um determinado tipo de análise. Estes devem estar limpos, estéreis e só poderão ser abertos no momento de sua utilização, pelo tempo necessário para seu preenchimento, devendo ser fechados imediatamente após a coleta. Além disso, análises como as de cloro livre e de pH devem ser realizadas no momento da coleta.

Após a coleta, as amostras devem ser acondicionadas adequadamente em caixa térmica, com uma quantidade de gelo adequada para manter as amostras refrigeradas para seu transporte e a temperatura deve ser mantida até o momento da análise da amostra.

A Microambiental gostaria de agradecer o convite das organizadoras do Jornal do Síndico por esta oportunidade e convidar a todos a ver a entrevista na integra.

A MICROAMBIENTAL POSSUI SERVIÇOS DE ANÁLISES DE POTABILIDADE DA ÁGUA QUE ATENDEM AS NECESSIDADES DO SEU CONDOMÍNIO. 

A Microambiental é uma empresa com mais de 20 anos de experiência em controle microbiológico em água e ambiente. Dispomos de soluções completas para identificar, combater e monitorar o desenvolvimento de biofilmes.  Além disso, contamos com uma equipe de atendimento técnico que presta assessoria aos clientes na resolução de não conformidades nas análises.





POSTS RELACIONADOS

Precisa de ajuda? Converse Conosco