fbpx
Trabalhe Conosco
Imagem Destacada

Por que implementar um Sistema de Adição de Biocida e evitar realizar a Cloração de Choque frequentemente?

Imagem alterada do site https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Liquid_Pool_Chlorine.jpg

A Cloração de Choque é um método que pode ser utilizado para desinfecção de emergência dos sistemas de água prediais. Muitas vezes observamos as empresas aplicando o método como medida corretiva frequente para contaminações microbiológicas.

O grande problema é que os altos níveis de cloro podem afetar a integridade dos sistemas de água e o método deve ser usado com cautela.  Além disso, após a cloração de choque, é provável que a recolonização dos microrganismos ocorra, a menos que sejam implementadas as medidas corretivas adequadas e que o nível de cloro residual livre seja mantido nas concentrações recomendadas pela PRC nº5, de 28/09/2017, Anexo XX (Alterada Pela Portaria GM MS nº 888, de 04/05/2021).

No artigo dessa semana, vamos falar sobre: 

  • o que é a Cloração de Choque;
  • os problemas que a Cloração de Choque podem causar nos sistemas de água potável;
  • quando é preciso aplicar o método de Cloração de Choque;
  • a importância de  implementar Sistemas de Cloração ou Recloração e evitar realizar a Cloração de Choque frequentemente e;
  • outras medidas de controle que precisamos implementar para evitar contaminações microbiológicas. 

O que é a Cloração de Choque? 

É um tratamento mais imediatista que envolve a injeção de cloro em uma concentração elevada no sistema para eliminar microrganismos e cloraminas. Segundo HSE, 2014 no método a injeção de cloro pode atingir o  nível de 20 a 50 mg/L.

Quais problemas que a Cloração de Choque  nos sistemas de água potável? 

A Cloração de Choque nos sistemas de água pode afetar significativamente a integridade do sistema de tubulação se aplicada incorretamente ou com muita frequência, podendo ocasionar a corrosão de tubulações e acessórios metálicos (CDC, 2003). Portanto, a realização rotineira desses procedimentos não é recomendada. 

Quando é preciso aplicar o método de Cloração de Choque? 

Muitas vezes observamos as empresas aplicando o método de Cloração de Choque como medida corretiva frequente para contaminações microbiológicas. Nós alertamos que o método deve ser aplicado com cautela e, principalmente, nos cenários descritos abaixo: 

  • Se você já tiver um sistema automático de cloração e, mesmo assim, ocorrer contaminações generalizadas de microrganismos potencialmente patogênicos (tais  como Escherichia coli, Pseudomonas auruginosa, Legionella pneumophila entre outras) e; 
  • Em edifícios que ficaram fechados por longos períodos e que não tiveram circulação de água.

Vale ressaltar que as contaminações microbiológicas são multifatoriais e precisam de uma análise mais profunda dos sistemas de água para estabelecermos as medidas corretivas adequadas. Por isso, antes de aplicar qualquer medida corretiva, converse com um especialista.

Por que implementar Sistemas de Cloração ou Recloração e evitar  realizar a Cloração de Choque frequentemente?

Os sistemas de cloração, também chamados sistemas de recloração, vão adicionar solução de hipoclorito de cálcio em pequenas concentrações à água de consumo visando gerar o cloro residual livre. A aplicação dos sistemas de cloração tem as seguintes vantagens: 

  • Permite o ajuste automático das concentrações de cloro sem grandes oscilações; 
  • Como ocorre a manutenção do cloro residual livre nas concentrações recomendadas pela Portaria 888, não vai afetar a integridade do sistema de tubulação;
  • Conforme o produto é aplicado vai inativar microorganismos potencialmente patogênicos de vida livre, ou seja, aqueles que não estão contidos em biofilmes na água regularmente e; 
  • Evitar concentrações de cloro residual livre acima do necessário, desse modo, não ocasiona cheiro e gosto desagradáveis e proporciona uma água mais saudável para seus consumidores. Além disso, com a menor concentração, pessoas com hipersibilidadade terão menos reações alérgicas.

Qual sistema de cloração é o mais adequado para meu sistema de água? 

Para os sistemas de cloração funcionarem com a eficácia esperada precisamos entender a  complexidade de cada sistema de água predial e aplicar a tecnologia mais adequada a cada sistema.

Imagem dos sistemas de cloração automáticos da Microambiental.

Na tabela abaixo resumimos as tecnologias e suas aplicações.

TecnologiaAplicaçãoMatrizes
Sistema básico com bombas dosadoras
(Hipoclorito de Sódio, Hipoclorito de Cálcio)
Para sistemas com grandes reservas, baixo consumo ou  grandes intervalos sem consumoÁgua para consumo humano (concessionária ou poço), água de reuso, aproveitamento de água de chuva ou lençol freático
Clorador de pastilha
(Tricloro)
Para sistemas com uso contínuo e com intervalos pequenos sem consumoÁgua para consumo humano (concessionária ou poço), água de reuso, aproveitamento de água de chuva ou lençol freático

Apenas a implementação de Sistemas de Cloração ou Recloração são o suficiente para eliminar contaminações microbiológicas na água potável?

Não, para evitar contaminações microbiológicas nos sistema de água potável, além da instalação de Sistemas de Dosagem Cloro, a empresa precisa realizar as medidas de controle  apropriadas, tais como: 

Além disso, é importante optar por empresas que utilizam tecnologias que removam os Biofilmes. A maioria das empresas utiliza o cloro como agente biocida no procedimento. De maneira geral, a solução de hipoclorito de sódio — que libera cloro residual livre quando em contato com a água de consumo — é muito eficiente na inativação de diversos microrganismos de vida livre, mas não aqueles albergados em biofilmes.

Por isso, é importante procurar empresas que utilizem biocidas que, além de menos agressivos à saúde, combatam as incrustações inorgânicas metálicas, removendo assim a matriz polimérica extracelular (biofilme) de maneira eficaz.

  • Realizar a limpeza e desinfecção periódica de banheiras, chuveiros, fontes decorativas, torneiras entre outras superfícies que tenham contato com a água e possam ter acumulado biofilmes;
  • Implementação do Programa água Segura: o ideal que estabelecimentos como Hospitais e empresas Alimentícias que precisam de  um controle mais rígido da qualidade da água implementem programas de gerenciamento, como o Programa Água segura da Microambiental, com o intuito de identificar tanto os principais pontos críticos no sistema quanto as ações corretivas que podem minimizar o crescimento e a disseminação de microrganismos potencialmente patogênicos e; 
  • Continue realizando análises de água para verificar  se as medidas de controle estão funcionando e monitorar a qualidade da água. Aqui uma dica importante é optar por empresas que tenham um Departamento Técnico especializado para auxiliar a sua empresa com medidas corretivas, caso ocorra alguma inconformidade no laudo de análises de água. 

Cuidados com produtos químicos:

Nós da Microambiental recomendamos que na hora de contratar um serviço de Cloração averiguar se o produto químico utilizado pela empresa apresenta os seguintes documentos:

  • Registro na ANVISA para uso como Desinfetante de Água para Consumo Humano (na ausência de registro é obrigatório o LARS e CBRS);
  •  Ficha de Informação de Segurança para Produtos Químicos (FISQP);
  • Os produtos devem atender a norma ABNT NBR 15.784:2017 e devem ter o  LARS (Laudo de Atendimento aos Requisitos de Saúde) que comprova o baixo risco à saúde do consumidor pelo uso do produto químico no tratamento de água para consumo humano e também CBRS (Comprovação de Baixo Risco à Saúde pelo uso de produto químico em tratamento de água para consumo humano).

Conheça os nossos sistemas de dosagem automática de cloro:

A Microambiental possui sistemas automatizados de dosagem de cloro que ajudam a evitar contaminações microbiológicas e evitam grandes oscilações nos residuais do biocida. Além disso, o sistema pode apresentar uma Interface Web para configuração de dispositivos e manutenção remota com alerta por e-mail.





POSTS RELACIONADOS

Precisa de ajuda? Converse Conosco