Água Segura para HospitaisHigiene em ambiente hospitalar é algo crítico. Diariamente, passam pelos hospitais inúmeras pessoas e muitas delas imunocomprometidas, como doentes crônicos, recém-nascidos ou idosos. Essas pessoas são mais suscetíveis a infecções de origem hospitalar que podem provocar o agravamento de seu estado clínico.

As infecções hospitalares normalmente estão relacionadas a processos inadequados de esterilização e desinfecção de utensílios e equipamentos, ao não cumprimentos dos procedimentos de higienização das mãos, à quebra de rotinas de limpeza e à falta de processos de controle ou identificação de contaminações. Entre outras atividades, a água é utilizada para a higiene das mãos e do ambiente, no preparo de alimentos, em processos de esterilização de matérias médicos e em processos de hemodiálise.

Pensando nisso, a água também pode ser um veículo transmissor de infecções: a água pode vir contaminada dos sistemas de abastecimento das concessionárias, ela pode ser contaminada nos sistemas de reservação, caixas d’água ou em tubulações com condições precárias de higiene. Por isso, existe uma contínua preocupação da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH) em validar a qualidade da água, que a mesma a faz por meio de análises de água regulares em pontos críticos. Além disso, o CCIH também realiza a limpeza das caixas d’ água a cada 6 meses, garantindo que seja removido o biofilme de suas superfícies e impedindo, assim, contaminações de ordem microbiológica.

A RDC 63, que é a Resolução da ANVISA que dispõe sobre requisitos de Boas Práticas de Funcionamento para o Serviços de Saúde, estabelece que a água fornecida no hospital atenda aos padrões de potabilidade e que a limpeza das caixas d’água seja realiza pelo menos a cada seis meses.

“Conheça o Programa Água Segura para Hospitais da Microambiental”