Água contaminada com matéria orgânica: por que é preciso ficar atento?

PRESENTE NA ÁGUA DE CONSUMO, ESSAS PERTÍCULAS ACABAM ALIMENTANDO MICRORGANISMOS CAUSADORES DE DOENÇAS.

Como ocorre a contaminação da água de consumo com matéria orgânica?  Reservatórios de água, sejam eles de empresas ou domiciliares, são abastecidos, muitas vezes, com água com materiais particulados, tanto orgânicos como inorgânicos, provenientes de ETAs que não conseguem remove-los por ter como fonte de água mananciais com alta carga de poluição. Também, pela rede distribuidora, esta partículas podem entrar na água de abastecimento devido a presença de rachaduras, na tubulação, fruto da falta de manutenção e do roubo de água.  Esses problemas vem se agravando desde a crise hídrica de 2014, isso porque, o baixo volume de água nos reservatórios e mananciais levam a uma maior concentração de poluentes, dificultando seu tratamento. Além disso como uma tentativa de reduzir os desperdícios no transporte da água, as concessionárias de tratamento de água potável diminuem pressão nas canalizações, o que possibilita a intrusão de águas contaminadas em águas já tratadas. Deste modo, com o tempo, há a deposição e acúmulo de substâncias orgânicas nas paredes e nos fundos dos nossos reservatórios de água, alimentando sistemas microbiológicos.

Reservatórios de água, sejam eles de empresas ou domiciliares, são abastecidos, muitas vezes, com água com materiais particulados, tanto orgânicos como inorgânicos, provenientes de ETAs que não conseguem remove-los por ter como fonte de água mananciais com alta carga de poluição. Também, pela rede distribuidora, esta partículas podem entrar na água de abastecimento devido a presença de rachaduras, na tubulação, fruto da falta de manutenção e do roubo de água.  Esses problemas vem se agravando desde a crise hídrica de 2014, isso porque, o baixo volume de água nos reservatórios e mananciais levam a uma maior concentração de poluentes, dificultando seu tratamento. Além disso como uma tentativa de reduzir os desperdícios no transporte da água, as concessionárias de tratamento de água potável diminuem pressão nas canalizações, o que possibilita a intrusão de águas contaminadas em águas já tratadas. Deste modo, com o tempo, há a deposição e acúmulo de substâncias orgânicas nas paredes e nos fundos dos nossos reservatórios de água, alimentando sistemas microbiológicos.

Com esse acúmulo de matéria orgânica e levando em consideração que estes locais são caracterizados como: Ambientes úmidos, quentes, periodicamente estáticos e com uma baixa concentração residual biocida ( ou cloração da água) Os reservatórios e caixas d’água tornam-se ambientes ideais para o desenvolvimento de biofilmes e crescimento de diferentes microrganismos.

Mas como as alterações na água de consumo afetam sua saúde?

Diversos agentes etiológicos que podem estar presentes na nossa água de consumo, e podem ser introduzidos em nosso organismo, por ingestão direta de água, alimentos, por via cutânea ou até mesmo pela inalação de gotículas de água contaminada. Dentre esses agentes podemos exaltar principalmente bactérias e vírus, amplamente conhecidos por causar as tão frequentes doenças diarreicas. Dentre os diversos grupos das bactérias relacionadas a este problema os podemos citar: Staphylococcus, Salmonella spp, Enterococcus, Shigella spp e aEscherichia coli, as quais são transmitidas através do consumo de água contaminada.

Mas atualmente observamos um panorama novo que requer nossa atenção especial.  Graças os adventos da saúde as pessoas conseguiram um aumento em sua sobrevida em diferentes circunstâncias. Assim conseguimos observar não só o crescimento da população idosa, mas também a sobrevida de pessoas que sofrem síndrome de imunodeficiência (AIDS), pessoas que passaram por transplantes e quimioterapia entre outros grupos. Apesar desse cenário promissor, para proporcionamos efetivamente uma melhora na qualidade de vida dessas pessoas precisamos providenciar maiores cuidados, uma vez que elas apresentam um sistema imune mais enfraquecido que podem sofrer com infecções por microrganismos que normalmente não causam doenças. De maneira geral denominamos as bactérias que se aproveitam do enfraquecimento do sistema imune do seu hospedeiro e criando patogênese de “Bactérias oportunistas”. 

Assim, patógenos oportunistas podem se estabelecer normalmente em encanamentos, caixas d’água, torneiras e chuveiros como parte do micro habitat nativo.  A presença de bactérias oportunistas apresenta assim um grande desafio para a sua detecção e monitoramento, uma vez que fogem do modelo padrão das análises exigidas pela PRC N° 5 estabelece limites máximos para água destinada a consumo humano. Dentre as bactérias oportunistas podemos enfatizar a Legionella que é transmitida por gotículas de água quente do chuveiro e a Pseudomonas que é amplamente encontrada em ambientes úmidos.

Além disso tanto os microrganismos patogênicosquanto os oportunistas têm a capacidade aderir às superfícies e se multiplicam, formando pequenos agregados os quais chamamos de biofilme. Quando ocorre a formação de biofilmes é uma grande problemática por ser de difícil remoção. Isto acontece, porque suas estruturas são adaptações dos microrganismos para resistirem ambientes extremos (como a falta de nutrientes, alto pH e resistência a biocidas). É muito importante evitar ao máximo grandes contaminações causadas por biofilmes, pois necessitam de alta tecnologia para a seu controle e são um ponto contínuo de contaminação da água.

Mas como fazer a manutenção da qualidade da água? 

A manutenção da qualidade da água, é um assunto complexo, e se faz necessário um conjunto de procedimentos especializados sejam feitos para garantir de fato a qualidade da sua água de consumo.

Dentro dos procedimentos é recomendado a limpeza de caixas d’água e reservatórios por empresas especializadas que realmente removam o Biofilme a cada 6 meses. 

A elaboração de análises microbiológicas da água periodicamente também é uma medida muito importante. Isso porque as análises identificam tanto a presença de microrganismos patogênicos, quanto a carga microbiana presente na água e assim pode-se avaliar se sistema de água está dentro dos parâmetros permitidos por lei e tomar as medidas necessária para o controle microbiológico. 

Vale ressaltar que ambientes hospitalares ou locais que hospedam pessoas com deficiência no sistema imune é recomendado a elaboração de análises complementares para o controle de bactérias oportunistas (por exemplo análises de Legionella).  Além disso, fazer a manutenção da concentração de cloro residual, principalmente em grandes edifícios onde a solução cloro não chega com a mesma concentração em todos os pontos prédio. Esse monitoramento é importante porque vai eliminar o microrganismos suspensos nos sistemas de água.  

Enfatizamos, que nenhuma das medidas citadas acima elimina completamente os microrganismos, mas ajuda a controlar seu crescimento e desenvolvimento a níveis aceitáveis para a sua utilização e consumo. A manutenção da qualidade da água é um trabalho contínuo que requer estudos e inovações tecnológicas, uma vez os microrganismos sempre estão se adaptando e aumentando a efetividade da sua sobrevivência aos diferentes métodos aplicados, necessitando assim um monitoramento e controle contínuo para evitar grandes contaminações.

Se você ainda tiver dúvidas ou sugestões, não hesite em enviar um e-mail para: marketing@microambiental.com.br

Precisando realizar a sua higienização e limpeza de caixa d’água semestral? A Microambiental, a partir de tecnologias inovadoras e de ponta, elabora a limpeza de caixas d’água e higienização de reservatórios, de forma rápida e a nossa tecnologia garante a retirada do Biofilme e não compromete o revestimento do seu reservatório.

Copyright 2016 Microambiental | Desenvolvido por Lamattina Marketing Digital